sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Voltei . Turbilhão de emoções . Ressignificar

Voltei para mais um desabafo!
Após tanto teeempo, tantos acontecimentos e tanta confusão mental eu ainda estou vivendo um turbilhão mental, eu diria. Muita coisa mudou e ao mesmo tempo nada do que eu queria mudou realmente.

Mas vim aqui para falar sobre a série que eu estou vendo chamada "This is us". Série realista, tocante...um drama com toque de comédia, sobre situações que vivemos e lidamos todos os dias como seres humanos.
(Contém spoiler)

No episódio que assisti ontem, Kevin, passa por uma situação em que precisa incorporar um personagem para uma peça de teatro, mas este papel traz memórias ruins para ele e então ele tem dificuldade de se entregar interamente para aquilo, tentando esconder um sentimento de si mesmo. Durante um ensaio com o pai biológico do seu irmao adotivo, o senhor diz que ele sempre coloca dúvida sobre si mesmo, nunca se acha bom realmente. Vale ressaltar que Kevin fazia uma série de TV que era querida por muitos, inclusive pelo senhor, mas ele largou a série pois estava se sentindo sem propósito naquele papel. Kevin se põe confuso mais uma vez e novamente o senhor diz que ele está duvidando de si. Para resumir, no fim uma colega de cena ajuda ele de uma forma peculiar porém efetiva a entender que aquele trauma emocional que ele está fugindo, faz parte dele e que ao invés dele tentar evitar aquilo, ele deve abraçar o sentimento e usá-lo como impulsionador para fazer a cena. Canalizar a emoção para a ação. 

Não sei se isso foi útil para vocês mas foi reflexivo para mim, pois estou passando por algo essencialmente parecido, porém em um outro contexto.
Ano passado passei por alguns processos seletivos traumáticos, em especial um para uma grande empresa de cerveja ( adivinhem qual é?rs). A oportunidade chegou até mim através de uma empresa de recrutamento que atua atraindo talentos com diversidade para grandes empresas. No entanto a trajetória de preparação e de etapas acabou me deixando menos confiante e com a autoestima mais baixa ainda. Tive uma crise de pânico e acabei não indo até a penultima etapa por conta do nervosismo e de alguns fatores externos que me deixaram fragilizada e confusa. 

Desde então adquiri uma grande dificuldade de fazer processos seletivos, parei de acreditar na minha história e na minha capacidade. Perdi consideravelmente a motivação, ainda mais com a quantidade de negativas que recebi. Quando havia uma possibilidade de retorno positivo eu apostava tanto as minhas fichas naquilo que era como se, caso eu não passasse seria o fim do mundo. Bom, por fim eu passei em um processo seletivo mas assim como Kevin, eu não via propósito no que eu fazia, estava muito infeliz e acabei saindo da empresa, para buscar algo com real propósito. Após isso passei por novos processos mas nunca com a mesma garra, mesma motivação ou mesma crença em mim. Passei a acreditar que eu não era capaz e não servia para aquilo. Comecei a duvidar inclusive de mim como pessoa, das minhas qualidades, dos meus amigos, de tudo que construi até hoje. Passei a duvidar de mim mesma e de todos ao meu redor. A ansiedade e a frustração tomaram conta de mim na maior parte do tempo. Com isso, acabei repetindo o "erro" anterior, pois tive uma oportunidade mas em um contexto diferente, de mais tranquilidade e sem fatores externos para me fragilizar, eu acabei optando por não ir até o fim. O monstro agora era interno e ele me segurou. Desta vez eu me segurei e perdi uma oportunidade porque duvidei do meu potencial. Desde então a culpa também está aqui me cutucando, as dúvidas são cada vez maiores e o medo de errar ou de acertar convive comigo. Acho que o meu caso é  pior que o de Kevin, na realidade. 

Algumas soluções que tive que buscar foram fazer terapia e procurar uma religião (ainda estou procurando) para me confortar um pouco. Uma outra coisa é tentar ressignificar as coisas e dar uma visão mais positiva para os acontecimentos. Abraçar e usar as frustrações como impulsionadores de ação, assim como Kevin deveria usar em seu papel no teatro. Então deixo aqui minha provocação para a reflexão: Vamos Ressignificar? Como Ressignificar? 







quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Percepção e Empatia

Quando a gente olha de cima, da janela do avião para a cidade, vemos as pessoas de um tamanho tão pequenininho, de repente nem as vemos mais, vemos só as casinhas beem longe, então não vemos mais nada, só o contorno das terras banhadas pelo mar, de repente vemos só as nuvens e o sol no horizonte. Conseguiu imaginar?

Mas esse texto não é sobre imaginar, mas sim sobre o que realmente é, o que realmente somos. Somos humanos, somos apenas mais uma espécie de seres vivos que vive em um planeta do sistema solar. Mas quando nós lembramos que somos da mesma espécie? Quando nós sequer reparamos que somos todos tão parecidos como qualquer outra espécie? Quando nós lembramos que somos apenas mais uma espécie entre uma quantidade enorme de outras espécies?

Se não entendeu o que eu disse, preste atenção nesse padrão: Temos olhos, nariz, narinas, boca, dentes, cabelos, pele, osso, cheiros, orgãos e o rei cérebro! Que óbvio, você que leu isso, deve estar pensando. No entanto, somos tão ocupados em nossas pequenas redomas, que chamamos de vida, que esquecemos o quanto iguais somos e aparentemente isso acaba se tornando cada vez menos óbvio. Então, sendo todos nós seres da mesma espécie eu te pergunto, por que lutamos contra nós mesmos? Por que pregamos ódio contra nós mesmos? Por que nos matamos, matamos vários e vários seres de nossa espécie? Por que somos tão egoístas e não ajudamos o próximo? Por que sentimos medo, inveja, raiva, por seres que são muito mais parecidos do que diferentes de nós mesmos? Sim, nós somos muito parecidos tanto por dentro quanto por fora! Temos algumas diferenças claro, como cor do cabelo, tom de pele, tipo de cabelo, altura, peso, mas afinal ainda continuamos sendo muito mais parecidos do que diferentes. 

Para ficar ainda mais fácil:
Ser humano é igual a ser humano e isso independe da cor, religião, características físicas ou psicológicas. 
Ser humano é diferente de leão, de papagaio, de cachorro, de tubarão, de jibóias, de suricates, etc...

Então perceba, toda essa diferença de características físicas, não impede os seres humanos de continuarem sendo seres humanos (sim, estou sendo repetitiva por pura ênfase) e ainda sim, continuamos nos tratando como diferentes, como indiferentes, com desvalorização e desprezo. Te pergunto, qual o sentido de não tratarmos os outros como iguais, já que somos todos iguais? 

O ser humano distrói o próprio ser humano e isso é mutável, mas depende apenas do próprio ser humano e de sua compreensão sobre os que o rodeiam.

Por isso venho aqui para apelar por empatia, por compreensão e por igualdade perante os iguais. Vamos olhar para o outro e tratá-lo como nós gostaríamos de sermos tratados. Isso é uma escolha e só depende de sua percepção. Se você for inteligente e sei que você é, isso parecerá a escolha mais óbvia a ser feita e você se perguntará, como não pensou nisso antes, não é mesmo?

Mais amor, por favor.


segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Sobre a minha falta de perspectiva

Sabe aquele momento em que sua vida está vazia?? Então deixa eu te contar como é...
Atualmente eu estou formada, após longos e tensos anos de engenharia. Me formei já tem 3 meses (bizarro!) e estou desempregada, sem dinheiro, sem namorado e sem perspectiva. Acho que deu pra entender como é né?

Estou me inscrevendo em processos seletivos, mas ou eles estão muito seletivos ou eu estou muito fora da curva. Não sei, só sei que não eram esses os meus planos para os  meus 25 anos de vida. Me pergunto se fiz algo errado durante toda essa jornada até agora, pq nenhum dos meus objetivos reais foram alcançados e nem sei quando serão. Até falei com um ex-namorado, que eu não falava há uns 3 anos. Se foi por carência, pra me testar ou por falta do que fazer eu não sei dizer, talvez um pouco dos três. Não sei nem dizer ao certo qual foi meu objetivo com isso. Talvez uma busca por acender alguma coisa que nunca mais acendeu aqui dentro,mas ainda sim, continuou apagado, porque já passou e eu já sabia disso. 

Não sei de mais nada da minha vida. Pensei que eu tinha o controle sobre tudo e que o caminho era certo e que estava fazendo tudo como mandava o script, mas não. A vida só vem me mostrando que nada nada mesmo é como nós esperamos que seja. E que é tudo uma chuva de incertezas e você tem que tentar todo dia remar no seu rumo, em linha reta que a vida vai vir e te jogar pra uma curva tortuosa, cheia de obstáculos e você vai se esforçar pra continuar remando em linha reta. O esforço é contínuo, diário, eterno.

Se me dá vontade de desistir? Todos os dias! As vezes eu penso que não tenho muito propósito aqui nesse planeta. Gostaria de uma luz, de uma bússola da vida para me dizer qual o rumo certo e mais do que isso, qual o melhor rumo a se tomar, mas isso não vai acontecer. Então só me resta tentar, navegar e ver no que vai dar, mas ás vezes me faltam forças.

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Redes sociais

Hoje eu tive uma discussão que me fez, mais uma vez, refletir sobre a função das redes sociais.

Eis algumas constatações:
Inicialmente havia uma excelente intenção de fazer com que as pessoas interagissem de maneira saudável, tivessem um novo meio de se conhecerem, se reencontrarem ou se comunicarem mais facilmente, mas por algum motivo o "tiro saiu pela culatra" e a rede social virou um mundo de exibicionismo, um show de momentos bons em tempo real. 

Na maioria delas você encontra:

  • Fotos de dias ensolarados, nunca de dias chuvosos e nublados;
  • Momentos de sorrisos e vitórias, mas nunca de derrotas e dificuldades;
  • Check ins nos lugares mais maravilhosos e exóticos, para deixar qualquer um babando de inveja na sua vida, mas os momentos de perrengue nunca são exibidos afinal isso você não quer exibir para os outros né? Um check in no supermercado ou no seu quarto nunca será exibido.
  • Relacionamentos perfeitos, cheios de amor e encanto, mas nunca os momentos de choro, de tédio ou de asco;
  • Corpos perfeitos, magros e saudáveis na praia, na piscina com o bikini ou maio da moda, mas nunca corpos imperfeitos ou partes do corpo que possam causar uma impressão negativa.
  • E não podemos esquecer das legendas que são, praticamente livros de auto-ajuda, onde todos são gurus da motivação, da positividade, da autoestima elevada, do amor próprio e dos bons costumes.
Então deixo aqui alguns questionamentos, para os quais ainda estou tentando formular respostas.

Para que utilizar ferramentas em que somos avatares irreais que exibem uma vida ideal e montada? Será isso um "the sims" versão 2.0? Será isso uma forma de acreditar que a vida está boa quando ela não está? 
Por que essa cultura do exibicionismo faz tanto sucesso e até muda o objetivo inicial de uma rede social? Por que se comparar com os outros ou ver como as pessoas estão agindo é considerado tão relevante?
Por que viver interagindo pela internet se tornou mais interessante ou talvez mais popular do que interagir com as pessoas reais, tangíveis, que estão ao seu lado? Por que ter mais amigos ou seguidores significa que você é popular, mesmo que provavelmente você conheça de verdade mesmo, umas 7 pessoas que estão na sua rede?

Se alguem tiver as respostas para essas perguntas, por favor fique à vontade! Se não tiver, te convido a refletir comigo e encontrar as repostas ou, ao menos a pensar nessa outra perspectiva que fica maquiada e que muitos não enxergam tão claramente.





domingo, 21 de agosto de 2016

Viagem para a Disney

Vou falar sobre minha trip para Disney e sobre alguns pontos que acho legais compartilhar para não me esquecer e ajudar quem estiver para ir!

Minha prima e eu fomos passar dez dias em Orlando. Nosso plano era ir aos parques da Disney, fazer compras e se desse iriamos ao Sea World e aos parques da Universal Studios. Como minha prima está grávida, não estávamos dando enfoque nos parques com mais adrenalina, além disso o sonho dela era conhecer Disney World, então o plano inicial era esse.

Ao longo da viagem conhecemos algumas pessoas e conseguimos várias dicas de compras, locais para comer com preço bom e inclusive de como comprar ingresso para os parques com preços mais baratos.
Aqui vão algumas dicas para vocês:

1. Como é o transporte do hotel para Disney?

O legal de Orlando é que a maioria dos hotéis tem "shuttle", que é um ônibus de graça, para os parques. Eles passam nos hotéis em um horário marcado então, prepare-se para acordar cedo, tomar um café legal e estar na porta do hotel no horário certo do shuttle! Assim você pode ir para os parques da Disney sem preocupação e sem gastos a mais com transporte.

No nosso hotel, o shuttle tinha como destino apenas o Epcot, mas lá no complexo Disney tem vários ônibus da Disney que saem de um parque e levam para outro sem custo, então isso não foi um problema. Assim, todos os dias de parque fomos diretamente para o Epcot e  lá pegamos um ônibus da Disney para o parque que iriamos dentro do complexo. O único parque que possui duas opções de transporte para chegar nele a partir do Epcot, é o Magic Kingdom. Para chegar la você pode pegar um ônibus da Disney ou o Monorail que é um tipo de metro que passa pelo alto, bem legal e tecnológico.

2. Onde comer barato fora dos parques?

As opções de alimentação fora do parque são muitas e para todos os gostos e bolsos. Vou destacar aqui as que encontramos com um bom preço na International Drive. Uma delas foi dica de uma taxista, que nos disse para procurarmos por buffets ou também chamados "all you can eat" que são restaurantes em que você paga um valor e come quantas vezes quiser e o quanto quiser. Encontramos um restaurante italiano deste tipo, por apenas $8,99. Foi um achado! Nele tinham várias opções de saladas frescas, massas preparadas na hora, pizzas e até sobremesas. Outro restaurante que também experimentamos nesse mesmo tipo foi um asiático com cinco bancadas de buffet e com comidas variadas, desde yakisoba, aneis de cebola e wings, até frutos do mar. Este restaurante asiático, no almoço tinha o mesmo preço do italiano e no jantar custava $12,99, mas mesmo sendo um pouco mais caro valeu a pena!
Outros lugares muito baratos são os fast foods como Burger King e Mc Donalds, pois eles possuem ofertas como dois sanduíches por 5 dolares, além do "dollar menu" que são lanches que custam pouco.

3. Como comprar ingressos baratos para alguns parques?

Essa dica vale ouro! Foi desse jeito que minha prima e eu conseguimos ir ao Sea World, já que no final da viagem estávamos com poucos dólares restantes.
Alguns hotéis oferecem ingressos com desconto se você aceitar fazer un tour pelo hotel, para conhecer e receber ofertas de pacotes, para futuramente se hospedar neles ou não, pois não há obirgatoriedade de compra. Basicamente, você vai até o hotel para uma apresentação de ofertas do hotel e recebe desconto no ingresso desejado, dessa forma os hotéis atraem novos clientes. Nesse caso, minha prima e eu não fizemos nenhuma reserva no hotel mas conseguimos os descontos nos ingressos! Posso garantir que vale super à pena, então fica a dica! Assim fomos no Sea World com um super desconto e tivemos mais um dia de parque na nossa viagem!

4. Quais os melhores lugares para fazer compras baratas?

Bom, aqui vou falar da minha experiencia e dos lugares que achei que valeram a pena ter ido. O melhor shopping no quesito preço, com certeza é o Premium Outlet Orlando, que fica na International Drive. Lá você encontra diversas marcas e até mesmo grifes com descontos então tire um dia para andar com calma e encontrar as melhores ofertas.  Próximo ao premium existe uma loja chamada Nike clearance, em que todos os itens estão em promoção então vale a visita nela também pois muitas vezes se encontram ofertas exclusivas por lá.

Uma loja que eu recomendo a visita é a Ross dress for less, que é uma grande loja de departamentos onde você encontra bolsas das mais variadas marcas desde Michael Kors e Calvin Klein até Nine West e The Sak com precinhos excelentes. Além de bolsas, lá você encontra sapatos, roupas, mochilas e produtos de beleza, tudo com desconto. A loja possui muitas araras, então vá com paciência e calma para procurar boas ofertas, pois com certeza você vai encontrar!

Então se joga em Orlando e aproveita o passeio, pois vale super a pena, tanto  pela magia dos parques como pelas comprinhas, se você souber onde procurar! Compartilhem suas experiências aqui  também, afinal trocar dicas vale muito mais do que guardar pra si, não acham? =)








sábado, 30 de julho de 2016

"Como eu queria que você fosse...mas nunca foi."

Talvez, você nunca tenha sido quem realmente eu pensei que você fosse, era apenas uma projeção das minhas expectativas certamente não correspondidas, um desejo encubado, um sonho nunca realizado, uma fantasia criada, uma idealização, um personagem existente apenas em minha mente.

Do que mais sinto falta nem sei, acho que não é de você, mas sim do que eu esperava de você, do que eu sonhei que fosse você, então imagino, crio e fantasio uma saudade de alguem que nunca existiu, mas que, em minha cabeça vazia e carente, aparece nítidamente, como se houvesse existido. 

O personagem criado é uma versão esperada, imaginária e melhorada, moldada seguindo os mínimos detalhes de um príncipe, sendo gentil, amável, paciente e encantador. Afinal, quem nunca quis que um de seus amores fosse exatamente  como sonhou que atire a primeira pedra. 

E quantas pessoas se decepcionaram por criar tamanhas expectativas? Acho que este é o grande erro da humanidade quando o assunto é amor. Despertamos a máxima expectativa sobre o outro, no entanto esta é destrutiva e desperta cobranças, decepções e confusões em nossas mentes. 

quarta-feira, 27 de julho de 2016

Aviso importante para você!

Ei, você! Sim, você mesmo! 

Sabe aquele boy, que vem em seus pensamentos, por vezes aparece em seus sonhos e que você se pega pensando até hoje, mesmo quando você acha que já esqueceu, já superou... não precisa se sentir só, tem mais gente pensando como você do que se imagina. Muitas pessoas passam pelos mesmos problemas, pelos mesmos obstáculos, mas poucas vezes tem conversas que as façam enxergar isso.

Ei, você! Não precisa ficar com medo, lembranças vem e vão é natural tê-las, isso mostra que você viveu intensamente e que foi bom sim, mas também foi ruim, te trouxe muitos momentos bons, mas também muita decepção, então não pense que você ainda precisa daquilo não. Pessoas vem e vão, assim como pensamentos, lembranças. Tenha sempre em mente que tudo que se foi, foi por um motivo, do contrário, não teria ido. E se não está mais em sua vida é porque você está melhor sem isso. 

Agora você está mais experiente, mais madura, já sabe se amar, se cuidar e se priorizar. Então prometa para você que não vai cair nos mesmos erros, você já aprendeu e já amadureceu com isso...agora é hora de olhar para frente e de continuar sua jornada, trilhando seu caminho da melhor forma, do seu jeito, com seus toques e detalhes favoritos. Acredite, o melhor com certeza está por vir e ele não vai avisar quando chegar, simplesmente você vai sentir! 

Só confia e vai fundo, sem olhar pra trás!